Dentro do sistema brasileiro de preservação, a Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN é a figura jurídica relativa a uma área de domínio privado a ser especialmente protegida por iniciativa de seu proprietário, mediante reconhecimento do Poder Público federal e local, por ser considerada de relevante importância pela biodiversidade, ou pelo aspecto paisagístico, ou ainda por outras características ambientais que justifiquem sua conservação.

A RPPN é, portanto, uma figura jurídica pública ligada ao Ministério do Meio Ambiente e regida conforme normas do IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. O proprietário de uma reserva deste porte firma o compromisso de manter perpetuamente intocada a flora, a fauna, as águas, o solo, o subsolo e o ar – todo o seu ecossistema. Esse gravame jurídico passa aos herdeiros junto com a terra.

O Santuário de Gabriel, com extensão de 70 hectares, é legalmente instituído como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Situado em uma das vertentes do pico mais alto da região, o Agudo, com mais de 1000 metros de altitude, (IBGE) possui solo basicamente rochoso, dando origem a um ecossistema muito singular em meio às já tão particulares características do Cerrado.

No tempo da seca, que vai de junho a setembro, o subsolo de pedras retém uma grande quantidade da água e da umidade que o Cerrado recebe no tempo das chuvas. Esse fato, associado à altitude e à topografia de colinas e serras, propicia uma vegetação que se caracteriza pela abundância de espécies diversas e de árvores de grande porte.

As colinas, com suas vertentes e grotas, formam berços naturais, dos quais brota a água que se desdobra em riachos cristalinos, criando no entorno uma vegetação de tipo ciliar ou de galeria, de inigualável beleza e riqueza.

O ar é muito singular porque é absolutamente puro, e no seu silêncio pulsam todos os seres, que se movem como um organismo indivisível. As águas dos riachos correm cristalinas e cantam seu som, que é presente em toda a mata.

Pela legislação, a RPPN Santuário de Gabriel tem seus direitos de ser mantida intocada e protegida em relação a sua vida silvestre e rica diversidade de flora. Protegida do desmatamento, de animais invasores como vacas e cavalos, de caçadores e de fogo provocado.